TurismoAzul 2013 - Todos os direitos reservados.​

É proibida a cópia e/ou reprodução das fotos sem a autorização

do autor, de acordo com a Lei 9610/98 dos Direitos Autorais.

  • Twitter Square
  • Instagram - Black Circle
  • Facebook Basic
Parceiros:
México
Agradecimentos:

Quem viaja ao México realiza uma viagem ao mundo da ficção. México não é só praias e ruínas, México é composto de impressionantes desertos, altas montanhas, mares azuis, ilhas cativadoras, cidades coloniais, rios e selvas, onde a aventura é a nota caraterística. Todos estes elementos de realidade, o perfeito quadro para os místicos costumes de sua povoação, onde a vida e a morte presidem em cada cena diária. O resultado deste estranho encontro é uma apoteose de brilhos para deslumbrar os olhos e, comover o espírito. México é a diversidade por excelência, o ponto de encontro entre realidade e ficção.

 

E para demostrar um pouco isso: no Dia de Finados, por exemplo, vende-se nas padarias "pão de morto" e caveiras de açúcar e chocolate além, de instalar preciosos e elaborados altares em cada casa, com oferendas para os que já foram. Porque cada espírito regressa à terra, atraído pelos cheiros e sabores, os quais na vida mais gostavam. Para guiar-lhes da tumba até a casa, faz-se um caminho com "flores de morto". Os cigarros habituais, o guisado e a fruta preferida e garrafas de pulque (licor de pita), águardente de pita ou tequila, esperam iluminados pelas velas. Esta é a realidade, nada de ficção, verdade pura.

 

México, com uma extensão de 1.958.201 quilômetros quadrados, tem fronteiras ao norte com os Estados Unidos, ao Sul com Guatemala e Belice, ao leste com o Oceano Atlântico e ao oeste com o Pacífico. O Trópico de Câncer corta o país quase pelo centro e, dada sua extensão de norte à sul e sua especial ortografia (descrição de montanhas), apresenta uma climatologia muito variada. É, em muitos outros aspectos, uma terra de altos contrastes. 

 

O coração geográfico do país são as terras do planalto vulcânico, conhecidas como Anáhuac, onde juntam-se as duas cadeias montanhosas, a Serra Madre Oriental e a Serra Madre Ocidental. Estas duas formações percorrem o país pelos acostados, de norte à sul. Entre as duas cadeias surgem diferentes vales e escudelas com uma média de altitude de 2.000 e 2.500 metros. É uma região dominada por grandes cones vulcânicos como o Popocatépetl com 5.452 m. ou o Ixtlacíhuatl com 5.216 metros. (o ponto mais alto do país é o Pico de Orizaba com 5.700 metros. no Estado de Veracruz). Neste vale, que representa uns 10% do território nacional concentra-se mais do 50% da população.

.

A maior parte do território mexicano carateriza-se pela presença de montanhas e mesetas (pequeno planalto) e, a excessão dos estados do norte, onde predominam os desertos que contrastam com a exuberante vegetação das zonas do sul. Os rios são curtos, a maior parte, e estreitos com um curso que desemboca rapidamente no mar.

 

Por outro lado, o México tem mais de 10.000 km de costas, rodeado por quatro grandes mares ou oceanos: o Oceano Pacífico, o Mar de Cortés, o Golfo do México e o Mar Caribe. O país está dividido políticamente em 31 Estados e um Distrito Federal.

 

Dada sua privilegiada situação e extensão, o México conta com uma rica flora e fauna. Muito perto do Éden, a terra da iguana e das borboletas monarcas (no Estado de Michoacão) acolhe numerosas maravilhas naturais. O México é mais que uma terra de desertos ou de espinhosos cactus. A extrema diversidade dos ecosistemas vem dada por sua extensão (quatro vezes a Espanha) e, a especial geografia dando origem a espécies de grande rareza como é, o caso do coelho dos vulcões, um lagomorfo de pelagem marrom que encontra-se no umbral da extinção, ou do monstro de Gila nas inóspitas zonas de Sonora ou bem, o ajolote, um anfíbio muito peculiar chamado popularmente "monstro aquático" e, que pode ser visto nos canais de Xochimilco. Os cientistas afirmam que ao redor dos 15% das espécies botânicas e animais no México, não encontram-se em nenhum outro lugar do planeta.

 

O país conta com 600 áreas protegidas entre Parques Nacionais, Reservas da Biosfera, Zonas Desérticas e Selvas Tropicais. Nestas áreas encontram-se mais de 1.500 espécies de mamíferos, répteis e anfíbios; como macacos, onças, báquiras, a anta de Baird, preguiças, algumas espécies da família dos sapos mais venenosos do planeta como os dendrobátidos, iguanas, caranguejos, raposas cinzas, macacos-aranha, a ornitofauna, com mais de 1.000 variedades, destacam os falcões, oropêndolas, aracaris, guacos, orioles, águias pescadoras (muito escassa em outros lugares, pois abundantes no México), pássaros fragata, chimangos com cristas (ave de rapina), corre caminhos, araras, rascones (ave pernalta), verdelhões, garças azuis, papamoscas reais com penas de cores; mais de 50 espécies de colibri, etc. Por exemplo, no sul do país, na pequena Reserva do Triunfo, encontra-se um dos bosques de nevoeiro mais maravilhosos do continente em que, convivem pacíficamente quetzais (ave trepadeira) e outras 300 espécies de pássaros, entre plantas de 9 metros e, árvores que superam os 30 metros de altura

 

A Península da Baixa Califórnia é um caso a parte na natureza mexicana. Aloja grandes concentrações de pelicanos (em alguns casos até 100.000 em cada porção de terra) ou de patos azuis, caraterísticos das ilhas Galápagos. Também pode -se ver a foca de Guadalupe, uma curiosa espécie em perigo de extinção pela depredação dos caçadores em procura da sua pele. Porém, a protagonista desta zona é a baleia cinza que instala-se todo inverno nesta zona, perto da lagoa Olho de Liebre, procedente de Alaska (entre dezembro e março). Porém, os mares mexicanos são casas também de manatís, marsopas, huachinangos, robalos, lucias, golfinhos, peixe-espada, atuns, etc

 

Quanto à flora, México possui espécies endêmicas como a dália, flor nacional, os nardos, a noite-boa e mais de 6oo variedades de orquídeas, entre as que encontram-se a baunilha.

 

Os Maias

 

As origens dos célebres maias remotam ao redor do ano 1.200 aC. Esta cultura desenvolveu em três períodos distintos: o pré-clássico, o clássico e o pós-clássico (cada um correspondente a diferentes lugares do México e da América Central). Porém seria a partir do ano 250 dC., quando inicia um período de progresso que vai até o ano 900dC, conhecido como período clássico.

 

Considerada como uma das civilizações mais avançadas do México pré-colombiano, os maias, foram grandes artistas e intelectuais que dominaram um complexo sistema matemático, além de serem capazes de realizar difíceis cálculos astronômicos. A sua estrutura social era muito fechada e articuláva-se em autonômias, governadas por sacerdotes. Mantiveram estreitas relações com Teotihuacán e Monte Albán, comerciando com produtos como o sal, já que naqueles tempos Yucatán era o primeiro produtor deste mineral. Lá pelo ano 1.400 dC. a cultura Maia tinha disseminado e, quase desaparecido, deixando um incrível número de centros cerimoniais e cidades antigas.

 

Os Aztecas

 

Conta a lenda que Huitzilopochtli, o deus da guerra, guiava aos nahuas (que procediam de Aztlán, daí o nome de aztecas) até o lugar em que deveriam instalar-se. O sinal era uma águia sobre um cactu, devorando uma cobra. Foi no Lago de Texcoco (atual Cidade de México) onde encontraram-se com o sinal do Deus, pelo que fundaram a cidade com o nome de Tenochtitlán.

 

O sinal era uma águia sobre um cactu, devorando uma cobra. Foi no Lago de Texcoco (atual Cidade de México) onde encontraram-se com o sinal do deus, pelo que fundaram a cidade com o nome de Tenochtitlán.

 

Somente após um século, graças as estratégicas alianças com outros grupos, impuseram-se acima do resto dos grupos indígenas, inaugurando o Império Azteca, que permaneceria até a chegada dos espanhóis (1519). Os aztecas impuseram um sistema, onde as forças sociais tinham certa participação, utilizaram uma complexa estrutura impositiva e de vigilância, desenvolveram um sistema educativo exemplar e, segundo as testemunhas, não conheceram a corrupção. Foram além disso, excelentes construtores, seguindo as tendências de culturas anteriores (Olmecas, Toltecas, Maias). Porém, o que mais surpreende desta cultura é a sua particular cosmo-visão da existência, articulada em uma profunda filosofia, que tinha sua base na própria imagem do mundo que construíram

 

Gastronomia

 

Italo Calvino, o célebre literário italiano, escreveu em uma obra, que provavelmente, a comida mexicana, pelos elaborados sabores, tinha origem obscura. Talvez, os indígenas ocultavam o gosto da carne, proveniente dos sacrifícios humanos, adereçando-a com muitas especiarias, para ocultar seu verdadeiro gosto. A verdade fica para os historiadores, mas o certo é, que a gastronomia mexicana é rica, elaborada e carregada de sabores. É também, o resultado de uma estranha mestiçagem, principalmente, com a comida espanhola, com seus ingredientes básicos no milho, adorado pelos indígenas, o chile, (pimentao picante), com mais de 100 variedades dignificando os sabores, e o feijão, ingredientes que irá encontrar sob diferentes formas em toda comida que realizar. Por outro lado, México tem aportado ao resto do mundo uma extensa lista de alimentos como abóbora, tomate, chocolate, abacate, mamão, goiaba, baunilha e dúzias de especiarias.

 

Para disfrutar de este rico paraíso gastronômico é imprescindível se esquecer de tudo o que se pensa da comida mexicana. Quer dizer, renunciar aos preconceitos sobre o assunto, já que em muitos casos, especialmente no exterior, a idéia que se tem da comida mexicana é bastante distorcida.

 

Dada a grande extensão do México e a variedade de zonas climáticas, a comida mexicana está muito regionalizada, pelo que o tipo varia muito de uma região a outra. O que irá degustar nas costas pode não encontrar terra adentro. É aqui onde radica a fascinação da comida mexicana.

 

Convidamos a descobrir este surpreendente universo, enriquecido durante os últimos 500 anos.

 

No México o desjejum é muito cêdo (entre as 7.00 e 10.00 da manhã) e completo. Como diz o refrão: "Quebre o jejum como rei, almoce como príncipe, jante como pobre e terá saúde". Experimente o menu nortenho, vísceras de vaca moídas e cozidas com milho e molho de chile vermelho, os chilaquiles omeletes de milho fritas e preparadas em molho verde ou vermelho, com creme, os ovos rancheiros, fritos acima de uma omelete de milho, banhados em molho picante ou ovos à mexicana, mexidos com tomate, cebola e chile. Nunca irá faltar o suco de laranja e uma taça de café, ao estilo americano, quer dizer, muito suave ou então do jeito mexicano, de panela, com um toque de canela.

 

Bebidas

 

Aconselhamos experimentar a cerveja mexicana nas comidas. É mais suave que a européia, e com a possibilidde de escolher entre uma rica variedade. As marcas mais destacadas são Coronita, Tecate, XX Lager, Modelo, Bohemia, Pacífico, Noche Buena (encontrada na época do Natal), Negra Modelo, Corona e Superior

 

Quanto aos vinhos nacionais, encontrará alguns de ótima qualidade. Recomendamos as marcas L. A. Cetto, Clafia e Los Reyes. Outra possibilidade é o pulque, que só poderá experimentar-lo em uma pulqueria (onde geralmente está proibido o acesso as mulheres). Trata-se de uma antiga bebida nacional que se obtém da água-mel do maguey e, que fermento em alforjas de couro de bode. Alguns preparam-no com frutas para inaltecer o gosto.

 

Como aperitivo, o tequila é o rei. É o licor nacional, que se obtém da destilação do suco fermentado do agave azul. Originário do Estado de Jalisco, começou a ser produzido no século XVII e na atualidade consiste em uma das bebidas mais internacionais. Serve-se num dedal e bebe-se de um gole, para depois chupar um pouquinho de sal e limão e alcançar o ponto do equilíbrio. Também, pode ser bebido com um dedal de sangria, um suco de laranja, pimentão, limão e sal. Existem várias qualidades de tequila, como o branco, de gosto forte e o mais usado para as bebidas preparadas, embora possa ser consumido só; ou o idoso, mais escuro e suave de gosto. Entre as marcas mais reconhecidas encontra-se o Tequila Cuervo, Sauza, Orendaín e Herradura Reposado. Nos últimos tempos, devido ao importante aumento da demanda internacional e à escassez que provoca a mesma, os preços do tequila subiram notavelmente. Porém, não se pode abandonar o país sem ter experimentado a internacional coquetell margarita, preparado com tequila, gelo, limão e sal.

 

Em algumas regiões do México destilam-se diferentes licores espirituosos, baseados em ervas e plantas. Experimente o mezcal, originário de Oaxaca e engarrafado com um pequeno verme proveniente da mesma planta, o damiana, licor de ervas originárias dos estados de Baixa Califórnia e Sinaloa e que, segundo o pessoal, tem propriedades afrodisíacas. Outra possibilidade é o xtabentú, licor elaborado com mel originário de Yucatao, parecido com o anis.

 

Entretenimento

 

No México não existe o tempo para o aborrecimento ou o tédio e as possibilidades são infinitas. O país oferece uma rica e variada gama de possibilidades para entreter o espírito e o corpo. Atividades para quem gosta de participar e para quem desfruta só olhando. De qualquer jeito podemos garantir que o México é sinônimo de excitação, atividade e alegria.

 

Praias

 

Como não poderia deixar de ser, no México desfrutará de excelentes praias. Mais de 9.000 quilômetros de costas, abrangendo quatro grandes extensões aquáticas, fazem do México um paraíso e, um dos lugares mais importantes quanto a praias. Existem para todos os gostos (desde águas tranquilas até águas com ondas importantes), assim como, instalações turísticas para qualquer economia, desde as típicas cabanas com tetos de palapa, até as construções mais modernas.

 

Os 9.600 quilômetros de costa do México oferecem infinitas possibilidades para os esportes aquáticos como o surfing, boogie board, esqui á jato, broncos (mini-lanchas), vela, windsurf, etc. Em muitos hotéis poderá alugar o equipamento necessário, ou então nos centros de atividades esportivas aquáticas.

 

Confira as fotos feitas pelo site Turismo Azul e programe-se para sua próxima viagem. Viva México!