TurismoAzul 2013 - Todos os direitos reservados.​

É proibida a cópia e/ou reprodução das fotos sem a autorização

do autor, de acordo com a Lei 9610/98 dos Direitos Autorais.

  • Twitter Square
  • Instagram - Black Circle
  • Facebook Basic
Chichen Itza

Com 30 metros de altura, a pirâmide de Kukulcán (também conhecida como El Castillo – O Castelo, em espanhol) é a mais famosa da cidade de Chichén Itzá, no México. Ela foi construída pelos maias (povo que vivia na região antes da colonização espanhola) e projetada como um calendário: há quatro escadarias, com 91 degraus cada uma, num total de 364. Somados ao degrau do topo da construção, eles representam os dias de um ano.

 

A pirâmide é uma homenagem ao deus Kukulcán, representado por uma serpente com plumas (dentro dela há imagens de cobra). E trata-se de uma pirâmide erguida por cima de outra! Esse era um costume dos reis maias: quando um morria, o sucessor, para demonstrar poder, fazia uma pirâmide por cima da antiga.

 

Um dos objetivos dos maias com as pirâmides era abrigar, no topo delas, templos para fazer rituais aos deuses. Numa mesma cidade havia até dez pirâmides. Em Chichén Itzá, além de Kukulcán, há outras seis.

 

Os maias eram mestres na matemática! Kukulcán comprova o conhecimento que esse povo tinha: ela é inclinada em exatamente 45 graus e tem os quatro lados voltados para os pontos cardeais (norte, sul, leste e oeste).

 

O povo maia usava pedras de calcário (comuns na região) para erguer as pirâmides. As pedras eram transportadas com cordas e troncos, e grudadas com um tipo de argamassa feita de calcário e água.

 

Kukulcán tem um truque de construção! Nos equinócios do ano (dois dias que marcam o início da primavera e do outono), a luz solar projeta a sombra de uma serpente na lateral da escadaria que fica ao norte da pirâmide. Ao final dos degraus há duas cabeças de cobra, que se ligam à sombra. A ideia era dar a impressão de que o deus estava descendo do céu.

 

Algumas pirâmides maias também eram usadas para enterrar reis, como tumbas gigantes. O túmulo de Kukulcán até hoje não foi encontrado. Não se sabe se é porque ele não existe ou se ainda não foi localizado nas escavações.

 

Você não pode deixar de ir ao México e não conhecer Chichen Itza. Vale a pena uma visita monitorada.

Chichen Itza - Yucatan (19).jpg